Guia, rutas e dicas para fazer o Caminho de Santiago.

Na nossa agência ajudamos a planificar a sua viagem e gerir as suas reservas em albergues. Temos os melhores preços do Caminho de Santiago

Quer fazer o Caminho de Santiago?

Confie na melhor agência para organizar a sua viagem. Deixe os seus dados e nós iremos enviar-lhe informação sem qualquer compromisso.


Os seus dados vão ser comunicados à Pilgrim Travel S.L. , e esta empresa vai gerir a sua solicitação. Para exercer os seus direitos de limitação do tratamento, consulte a política de privacidade. Dados recolhidos por Premium Leads S.L.

Caminho de Santiago: todas as rotas

Já percorremos todas as rotas do Caminho de Santiago para saber exatamente quais são os contextos com os que se vai encontrar o peregrino. Podemos recomendar-lhe o melhor caminho segundo as suas condições e a sua vontade para que todo seja perfeito. Somos uma das melhores agências de viagens do Caminho de Santiago e podemos ajudá-lo a organizar a sua viagem, sem compromisso.

Antes de mais, lembre-se de que para fazer o Caminho de Santiago não é preciso percorrer todas as rotas. Você poderá fazer rotas curtas para cumprir com os 100 quilómetros mínimos para qualificar para obter a Compostela. A Compostela é o certificado do peregrino que é entregue ao chegar à Catedral de Santiago de Compostela após fazer esses 100 km a pé, e 200 km de bike ou a cavalo.

Escolher uma rota do Caminho de Santiago de Compostela é importante para assegurar uma boa experiência. Há muitos fatores que podem ajudá-lo a selecionar o seu próprio Caminho:

O Caminho de Santiago de Compostela é uma rota turística e cultural, para além de espiritual. São vários os percursos que se iniciam desde diferentes pontos de Espanha, Portugal e França. Você é quem faz a escolha ao seu gosto. Dê uma vista de olhos a todas as rotas do Caminho de Santiago de Compostela, às vilas e cidades pelas que passa e às joias do património que pode visitar para fazer a sua escolha.

As rotas do Caminho a Santiago não são todas iguais. Cada uma delas atravessa diferentes localidades e tem uma duração variada em dias e em quilómetros. Por exemplo, a Via da Prata (Vía de la Plata) é o Caminho a Santiago mais comprido que existe, com os seus 960 km. Antes de fazer a sua escolha, deve analisar os dados de cada uma das rotas jacobeias e deve dispor de suficientes dias livres para dedicar ao Caminho de Santiago. Com esta informação e as dicas práticas do Caminho de Santiago que reunimos para você, poderá fazer a seleção perfeita.

O lugar de início é um fator importante para decidir a rota do Caminho de Santiago a fazer. Escolher um ponto de início próximo ao lugar em que mora pode ajudar a poupar tempo e dinheiro. Se vive em Portugal, talvez o melhor Caminho de Santiago para si seja o Português ou o Caminho de Santiago pela Costa. Descubra conosco por onde passa cada rota e qual é a melhor para si.

Quais são as diferentes Rotas do Caminho de Santiago?

NÃO existe um único Caminho de Santiago, pois esta é uma viagem espiritual antes de tudo, mas também cultural, económica e turística que teve o seu início desde diferentes pontos de toda Europa. Hoje pode escolher entre vários caminhos a seguir para chegar a Santiago de Compostela e abraçar o apóstolo. Todas as rotas têm aspetos positivos e estão bem assinaladas com as setas amarelas, ou com a vieira sobre fundo azul em terras galegas. Simplesmente tem que escolher a rota que apresente mais pontos de interesse para si, a que seja a ideal no que diz respeito à duração, à dificuldade das etapas ou ao ponto de partida.


As origens da tradição jacobeia: a História do Caminho de Santiago

SABEMOS que o Caminho de Santiago é uma peregrinação com muitos séculos de história. Mas, de onde é que vem esta tradição exatamente? Quem foram os primeiros peregrinos? Por que viajavam para Santiago de Compostela?

Quando começou o Caminho de Santiago?

A História do Caminho de Santiago começou no século IX, embora haja muitas teorias que asseguram que o Caminho de Santiago já tinha existência em época pré-cristã. Mas a partir de 812 o Caminho a Santiago toma o rumo do culto ao Apóstolo Santiago ou São Tiago Maior.

Especula-se que a peregrinação cristã deu continuidade a uma peregrinação pagã anterior que terminava no cabo Fisterra (em latim: Finisterrae, literalmente "fim da terra"), durante muitos séculos considerado o local mais ocidental do mundo, mas não há quaisquer referências históricas que apoiem tal tese. Porém, de acordo com estas teorias, o Caminho a Santiago já era rota de povos pré-cristãos, como os celtas. De acordo com os restos arqueológicos encontrados e os estudos que se realizaram deles, é sabido que a cidade de Santiago de Compostela era uma necrópole pré-cristã, com dólmens e outros elementos funerários de tempos anteriores ao nascimento de Cristo.

Fonte: Autoria desconhecida

Em 812 produz-se o achado dos supostos restos de Santiago Apóstolo, motivo pelo qual muitos marcam o início do Caminho de Santiago nesta data assinalada. No final do século IX, as culturas cristãs em Europa fazem-se eco deste achado histórico e como muitos devotos do Apóstolo começam a se interessar pelas relíquias de Santiago o Maior e, movidos pela religião, começam a sua peregrinação a Santiago desde diferentes pontos da Europa Cristã.

Conhece-se com certeza a data em que se acharam estes restos, mas a história de como se acharam em aquele lugar e por quê é mais incerta. No momento do achado existia a crença de que as relíquias de Santiago o Maior se encontravam no noroeste da Península Ibérica. Segundo a tradição mais estendida, foi um eremita chamado Pelágio quem viu uma estrela sobre o bosque de Libredón, e isso mesmo comunicou ao bispo Teodomiro de Iria Flávia, quem se deslocou ao local e identificou o achado como sendo o sepulcro do Apóstolo, nos restos de uma antiga capela.

O Caminho a Santiago foi-se convertendo num cruzamento de culturas, aumentando os contatos culturais nos diferentes pontos de Europa

Em menos de dois séculos, a peregrinação a Santiago aumentou de forma considerável. Já no século XI, o número de peregrinos a Santiago é realmente alto. Trata-se de um aumento excepcional para a época, pois as vias de comunicação da Europa eram muito precárias na altura.

A credencial
O salvo-conduto do peregrino

LIGEM-ME

A Compostela
O "certificado" de peregrinação



Qual é a origem da Catedral de Santiago?

A Catedral de Santiago é o ponto final da peregrinação pelos Caminhos de Santiago. Como toda catedral histórica, o seu processo de construção foi muito duradouro, compreendendo muitos séculos de história e muitas mudanças na sua arquitetura.

Fonte: Wikimedia Commons

A origem da Catedral de Santiago remonta-se ao século XI, pouco depois do achado dos restos do Apóstolo Santiago. O rei Afonso II das Astúrias deslocou-se ao local com a sua corte entre 820 e 830, para assegurar com a sua presença que os restos achados eram pertencentes a Santiago o Maior. Naquela altura considerava-se que os reis eram eleitos pelo mesmo Deus, assim que o facto de Afonso II certificar a procedência das relíquias era uma verdade praticamente incontestável.

Afonso II o Casto teria sido também o primeiro peregrino de Santiago da história quando se deslocou ao local onde foram achados os restos com a sua corte. O Casto também mandou construir uma igreja e estabeleceu lá uma comunidade religiosa permanente. Foi lá e baixo o seu reino que se originou o germe da atual Catedral de Santiago de Compostela pois, com o passar dos anos, essa igreja converteu-se num dos principais centros de peregrinação da cristandade e deu origem ao Caminho de Santiago.

Aparte da autoridade do rei das Astúrias, Alfonso II, a promoção de Compostela como capital de peregrinação contou com a confirmação e beneplácito de Carlos Magno, o grandioso imperador de boa parte do que hoje é Europa. Carlos Magno via na promoção da grandiosidade de Compostela como centro de peregrinação uma nova forma de defender as fronteiras do seu império das invasões dos árabes. O culto a Santiago estendeu-se por todo o reino da Galiza no século IX, e durante o reinado de Afonso III -século X-, chegou aos Pireneus, começando a desenvolver-se o Caminho Francês.

CONHEÇA SANTIAGO
Património da Humanidade

SERVIÇOS ÚTEIS
Na sua chegada a Santiago

Em que consiste o Caminho de Santiago?

DESDE os inícios do Caminho de Santiago, certamente muitas coisas mudaram. Com o passar dos séculos, os motivos de peregrinação variaram, mas outros aspetos do espírito Jacobeu continuam intactos.

Os Caminhos de Santiago espalham-se por toda Europa e vão entroncar nos caminhos espanhóis terminando na Catedral de Santiago de Compostela. Esta rota é percorrida por peregrinos procedentes de vários pontos da Europa e embora tem uma forte essência na religião cristã, o Caminho de Santiago é aliás uma via cultural, de contato entre diferentes culturas europeias. É o primeiro itinerário cultural e religioso da Europa e, desde 1993, está listado como Património da Humanidade pela UNESCO.

O Caminho de Santiago é uma peregrinação que atrai pessoas de todo o mundo por motivos que podem ser religiosos, culturais ou turísticos.


Motivos Culturais

Desde o século IX o Caminho de Santiago é um ponto de convergência entre diferentes culturas. Já naquela altura, os devotos procedentes de diferentes pontos de Europa peregrinavam a Santiago criando um movimento multicultural em que se trocavam ideias, notícias e a cultura fluía entre diferentes locais. Você sabia que o Caminho contribuiu à chegada à Península dos principais movimentos artísticos de moda na Europa?

Atualmente as coisas são diferentes, mas o espírito do Caminho de Santiago continua a ser o mesmo. Peregrinos de todo o mundo decidem começar este caminho a partir de recantos muito distantes: Estados Unidos, França, Itália, Alemanha, Reino Unido, Canadá, Japão, China, Argentina, e bem mais.

Motivos Religiosos

Embora os motivos religiosos não sejam os mais comuns na atualidade, não devemos esquecer-nos de que o Caminho a Santiago tem sua origem na devoção cristã pelas relíquias do Apóstolo.

A religião é um importante motivo pelo qual fazer esta peregrinação. Tanto a origem deste Caminho como a importância da Catedral de Santiago são motivos suficientes para aventurar-se a percorrer a rota jacobeia.

Aliás, o Caminho tem um forte fator espiritual: trata-se de uma comprida rota até Compostela que nos oferece tempo para pensar e para desenvolver a nossa própria espiritualidade. São muitas as pessoas que consideram que o Caminho de Santiago é a melhor via para conhecermo-nos a nós próprios e desenvolver um lado espiritual próprio.

Motivos Turísticos

A rota jacobeia tem imenso valor turístico, não importa o caminho que você escolha, pois em todos os Caminhos de Santiago de Compostela você vai passar por muitos dos pontos mais atraentes da Península Ibérica.

O Caminho de Santiago é perfeito para conhecer muitos locais diferentes: grandes cidades, vilas com encanto, aldeias, zonas de natureza, rincões com legendas quase esquecidas... Além dos muitos pontos de interesse cultural, não nos devemos esquecer dos bens do patrimônio intangível que vamos encontrar no nosso caminhar, como por exemplo as tradições, as línguas, a gastronomia...

Em resumo, o Caminho de Santiago é uma forma original de fazer turismo, combinando fatores culturais com o facto de ser uma experiência única de autoconhecimento.

Seja qual for o seu motivo, planeje a sua viagem conosco nos mínimos detalhes.
Obtenha aconselhamento e o seu orçamento Caminho de Santiago
Estou interessado(a)


Comece a aventura: dicas práticas para fazer o Caminho de Santiago

Épreciso estar em boas condições físicas para fazer o Caminho de Santiago, mas há percursos comparativamente mais simples do que outros, atos para pessoas com mobilidade reduzida ou qualquer uma dificuldade de movimentação.

Os fatores determinantes, além da condição física, são a idade e o treinamento mental. O Caminho de Santiago é também um percurso de peregrinação, e requer certo treinamento físico e mental.

O Caminho de Santiago é uma rota que pode chegar a ser muito comprida e, por vezes, tediosa. Aliás, muitas das etapas passam por zonas montanhosas, para as que é precioso estar preparado. Se vai fazer o Caminho de Santiago, recomendamos-lhe que faça a sua própria preparação com certa antecedência. Embora seja um runner experiente ou um nadador ótimo, é muito possível que o seu corpo não esteja acostumado a longas sessões de caminhada em solo complexo. Se resolve preparar um treinamento nos meses prévios ao Caminho, a sua experiência será muito boa.

O Caminho de Santiago não é apenas esforço físico, mas também é importante manter uma boa energia mental. Deve deixar tempo para apreciar o meio, conectar com a natureza, gozar da cultura e da tradição, e apreciar a gastronomia. Um bom equilíbrio entre corpo e mente é garante de uma muito boa experiência na aventura de caminhar até Santiago.

LIGEM-ME

Quando fazer o Caminho de Santiago? A melhor época para fazer o Caminho de Santiago de Compostela

Agora que sabemos quais são as rotas de chegada a Santiago de Compostela de caminhada, devemos saber em que altura do ano podemos fazer o Caminho, quer dizer, qual é a melhor época. O tempo influi muito à hora de fazer o Caminho de Santiago, tanto assim é que não é possível planejar a viagem sem se preocupar com o clima. Afinal de contas, é uma jornada de vários dias, muitos deles em meio à natureza. Dessa forma, ao tratar-se de uma viagem caminhando ao ar livre, o clima poderá afetar a nossa experiência, acrescentando a dificuldade a cada etapa com chuva, lama, neve...

Então, qual a melhor altura do ano para fazer o Caminho de Santiago? Esta é uma as dúvidas mais frequentes dos peregrinos, contudo, não é possível indicar qual a melhor época do ano para partir rumo a Santiago de Compostela. O importante é conhecer os nossos próprios condicionantes -pessoais, familiares, profissionais...-, e outros fatores que influem ao escolher uma ou outra estação. Portanto, se você vai bem preparado, conhecendo o que vai encontrar, poderá desfrutar da sua viagem em verão ou em inverno e de todas as formas e feitios.

Como qualquer tipo de viagem turística na Espanha, o Caminho de Santiago de Compostela tem três temporadas:

Sim, obrigado

Como fazer o Caminho de Santiago de Compostela

Embora a maior parte dos peregrinos decidem percorrer a rota jacobeia a pé, há muitas outras formas de fazer o Caminho de Santiago, também de bike, ou a cavalo e em burro. O conceito é o mesmo, embora algumas rotas podem variar ligeiramente.

O Caminho
a pé

O Caminho
de bike

O Caminho
a cavalo

Fazer o Caminho de Santiago em grupo

Never Walk Alone

Pode fazer o Caminho de Santiago sozinho ou em grupos. A primeira é uma experiência mais espiritual do que terrenal, e embora vaia sozinho, encontrará outros peregrinos pelo caminho, portanto sempre terá companhia quando a precisar.

Ao fazer o Caminho de Santiago em grupo é preciso seguir umas dicas práticas básicas, como prever o translado de mochilas ou ter um carro de apoio, que podem fazer que a experiência seja perfeita para a malta.

Se vai fazer o Caminho de Santiago sozinho ou com outras pessoas, pode viajar acompanhado de um Guia Oficial do Caminho de Santiago. Os guias do caminho são profissionais preparados para guiar os peregrinos pelas melhores rotas, explicando a importância de cada uma. Assim, não só poderá poupar tempo indo pelos melhores percursos, mas também aprender tudo o que há para saber sobre eles.

Ter um carro de apoio ao fazer o Caminho em grupo serve para garantir que todos os peregrinos cheguem a destino, embora sofram um contratempo. Se um membro da malta sofre uma torção no tornozelo ou simplesmente está indisposto, o carro de apoio encarregara-se de levá-lo ao alojamento dessa etapa, e as outras pessoas do grupo poderão continuar o seu caminho.

Fazer o Caminho em grupos é uma experiência espantosa, mas requer de organização. O melhor nestes casos é ter o apoio de uma agência, que se encarregue de reservar as melhores datas e de gerir todos os serviços que irá precisar o grupo. Se quer um Caminho de Santiago organizado ou encontrar grupos para fazer o Caminho de Santiago, conte conosco. Somos uma das melhores agências do Caminho de Santiago e oferecemos-lhe tudo o que precisar.

Fazer o Caminho de Santiago
em família

Qual é idade certa para o menino fazer o Caminho de Santiago?
Isso depende e muitos fatores pessoais, mas as crianças podem fazer o Caminho de Santiago a partir de 3 anos, segundo as experiências de "O Caminho de Santiago em Família".

O Caminho de Santiago
con o seu cão

O Caminho de Santiago
para singles

Como se vestir para o Caminho de Santiago?

Levar consigo um equipamento adequado é fundamental para fazer o Caminho de Santiago. Veja conosco qual é a melhor roupa e qual o melhor calçado para o Caminho.

Roupa e calçado para o Caminho de Santiago

  • Calçado, botas ou sandálias de caminhada
    Devem ser transpiráveis, impermeáveis e já devem ter sido usadas. Escolha o tipo de calçado apropriado conforme à época na que vai viajar. Se acha que o clima pode mudar, leve dois pares.
  • Chinelos
    Um par para tomar duche ou para ir à praia.
  • Duas T-shirts
    Devem ser técnicas e transpiráveis (para lavar e secar rapidamente).
  • Duas calças
    Opte por uma comprida e uma curta. Melhor se são convertíveis (com pernas destacáveis).
  • Três peças de roupa interior
    Com 3 cuecas será suficiente: poderá lavá-las nos albergues que encontrará no caminho.
  • Três pares de meias curtas
    As peúgas são tão importantes como o calçado. São prendas que estão em contato direto com o pé, motivo pelo qual devem ser desportivos e transpiráveis. Leve de 3 a 5 pares.
  • Casaco impermeável
    Embora faça o Caminho no verão, pode encontrar chuva em alguma etapa do seu percurso. Leve um bom casaco impermeável ou um conjunto de calças e casaco impermeáveis.
  • Fato ou calções de banho
    Quase todos os Caminhos passam por alguma praia ou por um rio. Leve um fato ou calções de banho para um bom mergulho.
  • Suéter
    Leve uma camisola consigo pois o frio pode apertar, principalmente à noite.
  • Chapéu
    Se viajar no inverno, que seja um chapéu térmico. Se vai no verão, chega com um chapéu simples ou de abas largas de preferência para cobrir do sol.

Calçado para fazer o Caminho de Santiago

O calçado adequado para fazer o Caminho de Santiago são as botas de trekking, melhor se elas são de cano subido para proteger os tornozelos e prevenir entorses. Se é inverno, pode optar por umas botas especiais para caminhadas. E se tem calçado desportivo cómodo para caminhar, pode usá-lo, mas melhor se é transpirável e impermeável.

É muito importante ter usado previamente o calçado que vai levar consigo: as botas devem estar já feitas aos pés. Se decide estrear as botas no Caminho de Santiago, é seguro que vai sofrer roçadelas e bochas nos pés.

Levar dois pares diferentes é preciso para descansar os pés, embora um par extra pode ser pesado demais para carregar na mochila. Lembre-se de que também deve levar chinelos para tomar duches ou para ir à praia ou ao rio.

Se vai viajar no outono ou no inverno
acrescente as seguintes prendas

Sim, obrigado

O que levar na mochila para o Caminho de Santiago de Compostela

Fazer a mochila para o Caminho de Santiago com calma é essencial porquanto tudo o que leve será simplesmente o que use na sua viagem. A mochila do peregrino não deve pesar mais do que 35-40 kg. Além das roupas que já vimos, nela deve incluir:

  • Documentos
    - Bilhete de Identidade ou passaporte
    - Credencial do peregrino
    - Cartão Europeu de Seguro de Doença ou cópia de seguro médico privado
    - Dinheiro, tanto cartão como notas e moedas
  • Higiene
    - Sabão para tomar um duche (corpo e cabelo) e para lavar a roupa
    - Escova de dentes e dentífrico
    - Papel higiénico e lenços de papel
    - Toalha de banho em microfibra
  • Úteis
    - Telemóvel e carregador
    - Canivete suíço
    - Sacos de plástico: para a roupa suja, parar guardar comida ou usá-los como material impermeável
    - Prendedores: para pendurar a roupa nos varais dos alojamentos
  • Segurança
    - Kit de primeiros-socorros: com fita adesiva médica, fita para as bolhas, pensos rápidos, vaselina e anti-inflamatório (para os pés e os músculos), desinfetante e analgésicos. Se precisar qualquer outra medicação ou se é inclinado a sofrer doenças (alergias ou problemas de estômago), junte-a.
    - Protetor solar: no verão, mas também no inverno, deve proteger a sua pele, que estará muito tempo exposta ao sol na caminhada
    - Lanterna e fluorescentes.
  • Alimentação
    - Garrafa metálica para a água
    - Snacks: pode levar barras energéticas, bolachas ou frutos secos, alimentos muito nutritivos e que não se estraguem com facilidade. Devem vir em sacos que não ocupem muito espaço.
  • Descanso
    - Saco-cama: Leve um mais grosso para as noites mais frias, e um leve e compacto para as noites mais quentes.
    - Tampões para os ouvidos: se vai passar as noites em albergues, proteja os seus ouvidos dos ruídos noturnos doutros peregrinos.
TRANSPORTE DE MOCHILAS
Caminhe ligeiro

Onde dormir no Caminho de Santiago

Tem várias opções para passar a noite no Caminho: os albergues de peregrinos e formas alternativas de alojamento.

Dormir em albergues de peregrinos no Caminho de Santiago

As opções mais populares costumam ser os albergues. O albergue é a escolha mais económica, e é o tipo de alojamento que mais abunda no Caminho de Santiago. Os albergues costumam estar situados nos pontos finais das rotas assinaladas e são de três tipos: albergues municipais, geridos pelas autarquias; albergues geridos por instituições religiosas ou associações sem fins lucrativos; e albergues privados, geridos por privados com fins lucrativos.

É o tipo de albergue mais abundante no Caminho de Santiago, com certeza encontrará um a cada etapa. Ao ser a opção mais barata (a partir de 5 euros a noite), é possível que estejam cheios muito cedo. Não espere pelo último momento para reservar a sua vaga.

Os Albergues paroquiais são geridos, de modo geral, por instituições religiosas. Também são uma opção muito económica, pois pode entrar deixando um donativo.

São outra classe de albergue, funcionando como negócio privado, embora o conceito seja o mesmo: dormir em grupo com outros peregrinos. Em alguns casos poderá gozar de serviços extra, como máquina de lavar a roupa ou piscina.

Alojamento local
Hotéis e Motéis

A maneira mais cómoda de viajar pelo Caminho de Santiago é reservar noites em alojamento local, hotéis ou motéis. Os preços são mais caros, mas os quartos têm melhores camas e casa de banho privativa. Não se deixe influenciar pela opinião de outros peregrinos: não todos conseguimos partilhar quarto. O descanso é importante no Caminho.

Aliás, poderá desfrutar de outros serviços: wi-fi, ar condicionado, aquecimento, comidas incluídas e bem mais.

Talvez tenha que fazer uma procura para encontrar estes alojamentos na sua rota, mas se reserva com antecedência não vai ter qualquer problema.

Turismo
de habitação

Uma casa de turismo rural é outra boa opção para passar a noite, sobretudo se fazem o Caminho de Santiago em grupo. Estas casas têm muito charme e costumam estar em muito boas condições.

Se faz o Caminho de Santiago em grupo, podem ser uma opção económica para dormir, aliás de ser mais íntima e cómoda do que os albergues.

Este tipo de alojamento é muito típico e característico de Portugal, mas também da Galiza.

Fazer
campismo

Se deseja dormir a ver as estrelas ou sem teto, a opção perfeita para você são os parques de campismo. Poderá escolher algum dos que encontrará no Caminho.
A grande desvantagem de fazer campismo é que as condições do tempo podem afetar o seu descanso, aliás, terá que levar sempre consigo a tenda de campismo.
Mas a principal vantagem é que é grátis (ou muito barato), e pode dormir onde desejar.

Cabe a cada um escolher o seu alojamento. Seja qual for o seu, fale conosco para organizar a sua viagem.
Estou interessado(a)


Utilizamos cookies próprios e de terceiros para oferecer-lhe uma melhor experiência e serviço. Se continuar a naveção, consideramos que aceita o seu uso. Pode obter mais informação aqui.