764 km / 33 dias a pé

O Caminho de Santiago Francês

O Caminho Francês é a rota mais antiga e transitada do Caminho de Santiago.

Contamos-lhe tudo o que há para saber sobre a rota mais popular do Caminho de Santiago. Encontre neste guia do Caminho de Santiago informação de cada etapa e dicas práticas para fazer o Caminho Francês.

Lembre-se de que para fazer o Caminho de Santiago não é preciso percorrer a rota inteira. Pode fazer a sua escolha e partir de qualquer ponto do Caminho Francês: faça apenas o número de etapas ou quilômetros que desejar, mas saiba que 100 km a pé são suficientes para qualificar você para receber a Compostela à sua chegada à Catedral de Santiago.


Imagem: Fortaleza de Sarria

Quer fazer o Caminho de Santiago?

Confie na melhor agência para organizar a sua viagem. Deixe os seus dados e nós iremos enviar-lhe informação sem qualquer compromisso.


Os seus dados vão ser comunicados à Pilgrim Travel S.L. , e esta empresa vai gerir a sua solicitação. Para exercer os seus direitos de limitação do tratamento, consulte a política de privacidade. Dados recolhidos por Premium Leads S.L.

História do Caminho Francês

764 km / 33 días a pé / 14 días de bike

 

O Caminho Francês é um dos Caminhos de Santiago com mais história. De facto, é considerado o Caminho mais antigo, pois existem documentos datados de 1135 onde aparece informação sobre este percurso jacobeu. O Caminho de Santiago surge no século IX com a descoberta dos restos mortais do Apóstolo Santiago o Maior. Graças ao apoio dos reinos cristãos do norte da Espanha e à influência dos beneditinos da Ordem de Cluny, nasce o Caminho Francês, o qual é percorrido tanto pelos devotos da península como pelos que habitavam em outras regiões da Europa.

O Caminho de Santiago Francês começou a desenvolver-se no século X, mas o traçado definitivo foi fixado pelo rei Sancho III o Grande no século XI, para livrar das incursões muçulmanas a zona e aproveitando uma antiga calçada romana. A partir desta rota, o número de peregrinos aumentou consideravelmente após iniciarem-se uma série de contatos e intercâmbios que, no campo religioso, levaram a fazer da peregrinação a forma mais difundida de devoção.

camino francés

Porquê escolher o Caminho Francês

O Caminho Francês não só é o mais longevo do que se tem constância, mas também o mais popular entre os peregrinos. A antiguidade do Caminho Francês é uma razão de peso para aventurar-se a caminhar por ele, percorrendo a mesma rota que percorreram, durante séculos, gentes de toda a Europa, aliás passando por lugares formosíssimos e muitos pontos de interesse religioso, cultural e natural.

Ao ser um Caminho tão popular, tem muitas vantagens para o peregrino: as suas etapas estão sempre cheias de caminhantes, mesmo em época baixa, no outono e no inverno. A atmosfera deste caminho é inigualável pois além de existirem numerosos estabelecimentos dedicados ao peregrino, ainda encontramos muitos albergues, restaurantes etc. E isto sempre é prático para poder descansar antes de chegar ao fim de cada etapa.

Logroño

Imagem: V. Maza

Burgos

Imagem: El fosilmaníaco

León

Imagem: J. A. Gil

Astorga

Imagem: P. Lameiro

Etapas do Caminho Francês

O Caminho Francês parte da famosa localidade de Saint-Jean-Pied-de-Port, situada na França, mas bem perto da fronteira com Espanha. Compõe-se de 33 etapas e tem uma distância de 764 km. As etapas têm entre 18 e 30 km, e no seu percurso vai poder descobrir lugares como Pamplona, Logroño, Burgos, León, Astorga, Ponferrada, Arzúa e muitos mais.

Etapa 1
Saint-Jean-Pied-de-Port – Roncesvales (24,2 km)

Trata-se de um início de etapa um bocadinho complexo. Se tiver algum problema, pode continuar por outra rota mais simples, a partir do desvio para Valcarlos. Nesta primeira etapa vai desfrutar de belas paisagens, como a Porta do Pireneu, a entrada a Espanha a partir da França que preferem os peregrinos. Aliás, destacamos a gastronomia da região, com os queijos de ovelha da montanha (Ossau Iraty, Roncal ou de Idiazabal), e bem mais.

Etapa 2
Roncesvales - Zubiri (21,4 km)

A partir Roncesvales vamos continuar por esta agradável rota. Podemos seguir ao longo da estrada principal ou bem desviar-nos ligeiramente e caminhar paralelamente ao rio Agra. Ambas opções são menos exigentes do que a etapa anterior e são caraterizadas por terem muito belas paisagens, abundância de estabelecimentos de hotelaria e gastronomia sem igual.

Etapa 3
Zubiri - Pamplona (20,4 km)

Esta etapa é popularmente conhecida como a etapa das pontes, pois vamos atravessar, entre outras, a Ponte dos Bandidos, a Ponte de Irotz ou a Ponte de Ultzama. Também vamos passar por várias voltas do rio Agra, bem como dos seus afluentes. Finalmente vamos chegar a Pamplona, célebre capital dos Sanfermines (festas do São Firmino, ou Sanferminak em basco). A não perder: a catedral, a Casa Consistorial, o Palácio de Navarra ou as Muralhas, e mais algum ponto de interesse.

Etapa 4
Pamplona - Puente de la Reina (23,9 km)

Esta etapa atravessa uma zona particularmente ventosa, enquanto mudamos o rio Agra pelo rio Sadar. Este será o seu maior desafio nesta etapa, o vento, pois o terreno é generoso com os peregrinos. Pontos de interesse: as Igrejas de San Miguel, de San Andrés ou de San Esteban, além do Palácio de Muruzábal.

Etapa 5
Puente de la Reina - Estella (21,6 km)

Nesta etapa de pouco mais de 21 km há abundância de paisagens agrícolas. Campos de trigo, de oliveiras ou prados tingidos de papoilas são algumas das paisagens que esperam neste percurso. E no que diz respeito ao património, poderá visitar o Palácio dos Reis de Navarra, o Santo Sepulcro ou a Muralha na localidade de Esteña. E há algum prato saboroso? Pois é: os pimientos del piquillo e as rocas del Puy.

Etapa 6
Estella - Los Arcos (21,3 km)

Esta etapa tem zonas desérticas e com pouco abrigo e alguma suba ligeira, mas é, em geral, uma rota agradável para o peregrino. Não hesite em parar a visitar a Fuente del Vino e o Mosteiro (em Irache), o Castelo de San Esteban de Deyo, a Igreja de Santa María de los Arcos ou o Portal de Castilla. Os vinhos e a leche frita (fritos de farinha com leite e açúcar) são algumas especialidades gastronómicas que poderá provar neste percurso.

Etapa 7
Los Arcos - Logroño (27,6 km)

Esta etapa parte da Comunidade Foral de Navarra para a comunidade de La Rioja. Aqui vamos encontrar-nos com um dos grandes rios da Península Ibérica: o Ebro. E poderemos provar algum dos melhores vinhos, os vinhos com D.O. Rioja. No nosso percurso vamos encontrar algumas subas complexas devido às pedras soltas e aos cascalhos do caminho, mas em geral é um percurso simples. Para visitar: a Igreja del Santo Sepulcro em Torres del Rio, a sede da Câmara Municipal de Viana e os pontos de interesse de Logroño (Igreja de San Bartolomé, a Concatedral de La Redonda, a Igreja de Santiago e as ruas Laurel e San Juan).

Etapa 8
Logroño - Nájera (29 km)

Embora a distância desta etapa parecer assustadora, é um percurso muito simples e sem obstáculos. Só há pendentes moderadas e quase tudo é planície, através de vinhais e outros campos agrícolas. Algum dos seus pontos de interesse são as igrejas, mosteiros e conventos (em Navarrete, Ventosa e Nájera).

Etapa 9
Nájera - Santo Domingo de La Calzada (20,7 km)

Mais uma etapa caracterizada pela planície e por atravessar campos dedicados à agricultura. De caminho vamos passar por perto de joias históricas classificadas como Património Mundial pela UNESCO que merecem uma visita: os mosteiros de Suso e de Yuso de San Millán de la Cogolla. Também sugerimos tirar tempo para fazer uma visita à catedral de Santo Domingo de la Calzada, construída em 1158 e onde repousam os venerados restos do santo do mesmo nome, falecido em 1109 e um dos principais impulsores do Caminho de Santiago.

Etapa 10
Santo Domingo de La Calzada - Belorado (22 km)

Nesta etapa vamos atravessar a fronteira entre La Rioja e Castilla y León. Será mais uma etapa de planície onde vamos visitar os restos do Castillo de Belorado, o famoso castelo de O Cid, o nobre guerreiro castelhano que viveu no século XI, época e que a Hispânia estava dividida entre reinos rivais de cristãos e muçulmanos. A sua vida e feitos tornaram-se legenda, sobretudo devido à canção de gesta, Cantar de Mío Cid, datada em 1207.

Neste percurso, além de reviver a vida da Hispánia medieval, vamos poder degustar algum dos mais famosos pratos da cozinha castellano-leonesa, como o lechazo assado (cordeiro) ou a morcilla (morcela) de Belorado.

Etapa 11
Belorado - San Juan de Ortega (23,9 km)

Esta é uma das etapas mais solitárias que já percorremos. De facto, muitas das localidades não têm serviços básicos como multibanco, farmácia ou alojamentos, motivo pelo qual é preciso levar a mochila bem carregada. Monumentos de interesse: Ermita de Nuestra Señora de la Peña (em Tosantos), a Igreja de Santiago Apóstol (em Villafranca Montes de Oca) ou o Mosteiro de San Juan de Ortega.

Etapa 12
San Juan de Ortega - Burgos (25,8 km)

Esta rota continua a ser plana e, embora seja algo longa, não é particularmente difícil. Vamos passar por perto do jazigo de Atapuerca, um dos grandes pontos de interesse da rota. Se for possível, tire um tempinho para o visitar. Também sugerimos preparar uma visita à Igreja de San Miguel de Arcés, à Catedral de Burgos, à Cartuja de Miraflores e ao Castillo de Burgos.

Etapa 13
Burgos - Hornillos del Camino (21 km)

Para sair da cidade de Burgos vamos percorrer exatamente as mesmas ruas e becos do que a rota original, através do bairro judeu. A rota continua a ser plana e suave. De facto, pode optar por fazer convergir esta etapa com a seguinte, criando um grande percurso de 40 km, mas de pouca dificuldade. Não se esqueça de provar o queijo e a morcilla (morcela) de Burgos.

Etapa 14
Hornillos del Camino - Castrojeriz (20 km)

Esta etapa, como a anterior, tem uns 20 km e é plana e fácil de percorrer. Os amplos campos agrícolas castelhanos vão ser os nossos companheiros de viagem. Neste percurso podemos visitar a vila castelã de Castrojeriz, com a Igreja de la Virgen del Manzano, a Praça Maior e o prédio da Câmara Municipal.

Etapa 15
Castrojeriz - Frómista (24,7 km)

Como é natural, nestes percursos pelo interior de Castilla e León quase não vamos achar sombra. É preciso que saiba que no verão as temperaturas costumam ser extremas nesta região, motivo pelo qual é necessário arranjar roupa apropriada para a caminhada ao sol, quer dizer, leve, transpirável e de secagem rápida. Mais também um chapéu de abas largas, para começar a caminhar com a garrafa de água sempre pronta. Neste percurso apenas vamos achar uma suba pequena, seguida de compridas esplanadas.

Etapa 16
Frómista - Carrión de los Condes (18,8 km)

Esta etapa, ao ser curta, é calma e agradável. Pode aproveitar a caminhada para repor forças e desfrutar da gastronomia castellano-leonesa: sopa de alho, lechazo (cordeiro), pichón (ave) e bem mais.

Etapa 17
Carrión de los Condes - Terradillos de los Templarios (26,3 km)

De acordo com a legenda, é em Terradillos de los Templarios onde está sepultada a mítica galinha dos ovos de ouro. Esta etapa não é difícil, pois é plana e agradável. Mas é preciso saber que após sair de Carrión de los Condes não vamos encontrar muitos estabelecimentos no caminho. Com a mochila cheia podemos encarar esta etapa e desfrutar dos seus monumentos e paisagens.

Etapa 18
Terradillos de los Templarios - Bercianos del Real Camino (23,2 km)

Nesta etapa vamos deixar esta localidade do Temple para continuar atravessando os campos de cereais da vasta Castela. De caminho vamos poder visitar a Igreja de Santo Tomás de Aquino (em Moratinos), a Igreja de San Lorenzo (em Sahagún) ou a Ermita de Nuestra Señora de Perales (em Bercianos del Real Camino). A partir da localidade de Sahagún já há abundância de estabelecimentos no Caminho.

Etapa 19
Bercianos del Real Camino - Mansilla de las Mulas (26,3 km)

Aproximadamente até o quilómetro 7 desta etapa os estabelecimentos são limitados. Será preciso esperar até chegar a El Burgo Ranero, onde são mais abundantes. Esta etapa caracteriza-se por ser plana e sem obstáculos.

Etapa 20
Mansilla de las Mulas - León (18,5 km)

Esta etapa une estas pequenas localidades com a grande cidade de León. Em León tire algum tempo para visitar a Catedral, a Muralha Romana, o Castillo e muitos outros majestosos monumentos. Aliás, é uma etapa plana e singela.

Etapa 21
León - San Martín del Camino (24,6 km)

Nesta etapa vamos deixar a antiga capital de León para voltar a submergir-nos tanto nos campos de cereais de Castilla e León, como no asfalto. Mais uma oportunidade de apreciar as paisagens e a natureza. Porém, não é necessário fazer muito esforço, pois é uma etapa média, plana e serena. No entanto, ao sair das cidades vamos atravessar alguns parques industriais: recomenda-se caminhar com precaução por estas zonas industriais.

Etapa 22
San Martín del Camino - Astorga (23,7 km)

Depois de passar pelas estradas asfaltadas das aforas de León, vamos chegar a uma paisagem mais natural, coroada pela histórica cidade de Astorga, um lugar a não perder. Desfrute dos seus vestígios romanos e da sua arquitetura sem comparação. Aliás, experimente os deliciosos folhados e mantecados desta zona pois, existe coisa melhor para repor forças após a caminhada do que os doces?

Etapa 23
Astorga - Foncebadón (25,8 km)

Esta etapa tem uma ligeiríssima subida. Embora não seja complexa, as nossas pernas com certeza vão estar cansas após as compridas etapas por esta região. Vamos ascender até chegar ao Bierzo, região muito próxima à Galiza. Não perca o cozido maragato e as frutas e hortaliças desta zona. As cerejas do Bierzo podem ajudar a evitar a dor muscular. E lembre-se de que apenas ficam 10 etapas para chegar a Santiago de Compostela!

Etapa 24
Foncebadón - Ponferrada (26,8 km)

Para o peregrino ciclista: tenha cuidado com as descidas. O ponto mais alto do Caminho Francês encontra-se nesta etapa, entre os quilómetros 5 e 10. A seguir é quando se produz um intenso descenso que finaliza na cidade de Ponferrada. No que tem que ver com os pontos de interesse, não perca o Castillo de los Templarios, a Torre do Relógio ou a Basílica de la Encina em Ponferrada.

Etapa 25
Ponferrada - Villafranca (24,2 km)

Nesta etapa só existe uma ligeiríssima encosta a partir do quilómetro 15. Vamos começar a notar a abundância de vegetação enquanto deixamos Castilla y León e entramos na verde e bela Galiza. Nesta etapa vamos passar por charmosas localidades como Columbrianos, Componaraya, Cacabelos, Valtuille de Arriba, até chegar a Villafranca del Bierzo.

Etapa 26
Villafranca - O Cebreiro (27,8 km)

Nesta etapa vamos chegar ao Cebreiro, um encantador lugar de montanha, muito conhecido no Caminho de Santiago. Mas vamos subir a partir dos 400 para os 800 m acima do nível do mar, uma suba considerável que aliás é numa etapa bastante comprida. Ao chegar ao Cebreiro, se tem forças, visite a Igreja de Santa María a Real e as célebres palhoças, construções tradicionais da Serra dos Ancares.

Etapa 27
O Cebreiro - Triacastela (20, 8 km)

Em contraste com a etapa anterior, esta é mais curta e plana, ainda que tenha uma encosta cara ao final, motivo pelo qual o peregrino que vai de bike deve permanecer atento. Esta rota atravessa a mágica região dos Ancares. O Caminho não passa diretamente pelo Parque Natural, mas vai poder deleitar-se com alguns dos seus manjares: castanhas, doces caseiros, cogumelos, queijo etc.

Etapa 28
Triacastela - Sarria (18,4 km)

Esta etapa diferencia-se por ter um solo firme e plano, quase todo feito de asfalto. É uma etapa quase totalmente plana, ideal para percorrer tanto a pé como de bike. Aliás, é uma das etapas mais curtas, e se a fazemos sossegadamente podemos descansar ao tempo que admiramos os seus monumentos: a Igreja de San Cristovo do Real e o Mosteiro Beneditino de Samos; e a Igreja de San Salvador já em Sarria.

Etapa 29
Sarria - Portomarín (22,2 km)

O caminho para Portomarín tem várias subas e descidas que dificultam um pouco o trajeto, mas em general é uma etapa aprazível. Ao chegar a Sarria vamos estar apenas a 100 km de Santiago, motivo pelo qual encontraremos multidão de peregrinos, pois esta é a distância mínima a caminhar para obter a Compostela, a certificação de ter feito o Caminho de Santiago. Este é um bom momento para a troca de experiências e para desfrutar ao máximo das últimas etapas.

Etapa 30
Portomarín - Palas de Rei (24,8 km)

No trajeto a partir Portomarín para Hospital da Cruz vamos encontrar encostas de até 400 m acima do nível do mar, mas os trechos de percurso serão mais bem planos e feitos de asfalto. Não fique sem provar um bom pão galego, polvo à feira (cozido e sazonado com azeite de oliva e pimentão) ou lacão (pernil de porco) cozido com grelos.

Etapa 31
Palas de Rei - Arzúa (28,5 km)

A última etapa comprida do Caminho Francês começa a partir de Palas de Rei para Arzúa por um percurso plano e bastante próximo ao nível do mar. Aliás, dar-nos-á a oportunidade de conhecer localidades como Leboreiro, Melide ou Boente. Os seus monumentos envolvem a Igreja de Santa María de Leboreiro; a Ponte Medieval do Rio Furelos, a Capela de San Roque e a Igreja de Santa María em Melide; e a Ponte de Ribadiso e a Igreja de Santiago em Arzúa. Nesta zona podemos provar o há de melhor na gastronomia galega: o polvo e os melindres de Melide, e o queijo com Denominação de Origem Protegida de Arzúa-Ulloa são alguns dos alimentos mais típicos.

Etapa 32
Arzúa - Pedrouzo (19,3 km)

Estamos terminando o nosso percurso pelo Caminho Francês de Santiago, e as duas últimas etapas suavizam-se. Com apenas 19 km, esta é uma etapa singela. Nela vamos poder visitar a Igreja e a Ermida do Pedrouzo e descansar antes do nosso último dia.

Etapa 33
Pedrouzo - Santiago de Compostela (19,4 km)

Esta é uma etapa singela e curta, pero muito importante. A vontade de chegar a Santiago sempre costuma invadir a alma do peregrino nesta última etapa. Uma vez que tenhas chegado a Santiago, não visite apenas a Catedral. A capital galega oferece um sem fim de becos cheios de história, charme e beleza. Entre os imprescindíveis estão o Mosteiro de San Martiño Pinario, San Domingos de Bonaval, o Mercado de Abastos, o Hostal dos Reis Católicos -antigo hospital para peregrinos-, e muitas outras atrações turísticas, culturais e religiosas. Também vale a pena passear pelas ruas sem rumo, desfrutando da nossa chegada a destino.


Precisa ajuda para projetar o seu Caminho de Santiago?

Se quer viver toda a experiência do Caminho de Santiago, ajudamo-lo a programar a sua viagem. Apresente-nos a sua questão sem compromisso e nós responderemos muito brevemente.

Os seus dados vão ser comunicados à Pilgrim Travel S.L. , e esta empresa vai gerir a sua solicitação. Para exercer os seus direitos de limitação do tratamento, consulte a política de privacidade. Dados recolhidos por Premium Leads S.L.

Conheça outros Caminhos

O Caminho Francês de Santiago é um dos caminho mais exigentes, mas existem alternativas que deveria conhecer.

» Caminho Francês 764 km / 33 dias
» Caminho Português 620 km / 25 dias
» Caminho Norte 824 km / 32 dias
» Caminho Primitivo 313 km / 11 dias
» Caminho Inglês 119 km / 6 dias
» Via da Prata 960 km / 27 dias
Utilizamos cookies próprios e de terceiros para oferecer-lhe uma melhor experiência e serviço. Se continuar a naveção, consideramos que aceita o seu uso. Pode obter mais informação aqui.